#TBTtrip: bem vindos à Praga

Sessão turismo

Conforme resultado de enquete no Instagram: vocês decidiram embarcar para a República Tcheca, mais precisamente para a capital Praga. Que maravilha!

Este #tbt veio do fundo do baú, mas nem por isso é trazido por memórias empoeiradas e imprecisas. Estive no Leste Europeu em 2011, quando tinha 20 anos. Além de Praga, embarquei para a Bratislava, capital da Eslováquia.

Tão pitoresca e única, Praga chama a atenção em especial pelo laranja de seus telhados e pela ponte “Charles Bridge“, que se estende sobre o rio Moldava (Vltava). A beleza é de emocionar, sendo carinhosamente chamada de “Princesinha do Leste”, e algo que não passa despercebido é o relógio astronômico na torre do centro histórico, ou Staré Mesto. Nesta cidade também é possível fazer um tour a pé e pub crawls (ou tour alcoólico por vários bares, rs). Outro detalhe: que povo bonito!

czech republic travel GIF-source

Outro aspecto que vale ser mencionado é o baixo custo de consumo na capital tcheca, até pelo fato de a Coroa Tcheca (CZK) ser bastante desvalorizada frente ao Euro (na cotação de hoje €1 = 25.3073 CZK e R$ 1 = 6,02 CZK). Ainda assim, fiquei hospedada num hostel, por sinal, o melhor que já conheci na vida. O nome dele é Mosaic House e ele também conta com setor “hotel”, de bastante conforto.

Praga também tem bairro judeu, um centro “novo” e um “pequeno bairro”, além de uma vida noturna embalada por opções de muita diversão. Além disso, conta com o museu de Franz Kafka, famoso escritor tcheco em língua alemã, e o Museu do Comunismo, que vigorou no país entre 1848 e 1989. Mas não vá pensando que temos ali um mero relicário do fracassado regime! Praga se reergueu e tem sua própria Champs de Elysee: a alameda Pariszka, com grifes caríssimas.

Em termos de gastronomia e culinária popular, Praga tem diversos cafés ao melhor estilo art-noveau, como o Café Imperial, já mencionado como um dos 10 restaurantes mais bonitos do mundo, com origem em 1914 (serve uma maravilhosa sopa de cebola e belos donuts). Bons restaurantes também não faltam (com bons preços, em especial quando afastados do centro turístico) e algo que nunca mais esqueci o sabor: o trdelnik, que lembra bastante um Pretzel, mas que vai longe na superação.

espécie de pretzel com chantilly e morango
Melhor comida de rua EVER/ Foto por Follow Me Away: Couples Travel & Travel Photography Blog

Essa massinha doce passada em amêndoas e na forma de cone é assada e pode vir recheada. O meu veio muito cheio de Nutella. Pare para apreciar também uma boa cerveja de trigo e lembre-se que este país é um verdadeiro produtor e exportador de lúpulo.

magnitude do café imperial em praga, com colunas e boa linda decoração
O café Imperial por dentro

A culinária local é mesmo marcada por carnes e sopas, costumeiramente acompanhadas por algum carboidrato como batata. Um bom prato pode custar R$ 30, inclusive com bebida. Um bom restaurante com ambiente moderno é o Lokál, uma espécie de cervejaria que serve clássicos nativos. Se o seu negócio não for carne, é também possível encontrar opções vegetarianas por lá.

O ponto alto da capital é o castelo, tido como Patrimônio da Humanidade. Não é um simples palácio, mas uma verdadeira região, repleta de museus, igrejas e história. Para entrar existe mais de uma opção de ingresso. Dica: antes de comprar busque compreender o que pretende ver, já que são muitas possibilidades, dentre elas a catedral de São Vito, com joias da Coroa, os jardins e a Basílica de São Jorge. Para quem tiver interesse, é possível assistir à troca da Guarda ao meio dia.

Curiosidades

  • Fica a 334 km de Viena e tem uma população de 1,3 milhão de habitantes.
  • Muitas vielas mal iluminadas e construções góticas trazem um ar de mistério à cidade.
  • No inverno escurece muito cedo, tipo às 16 horas, além de fazer muito muito frio!
  • Povo discreto, em especial os mais velhos, que geralmente não falam inglês.

You’ve decided: now we’re going to Prague. Such wonderful place!

This #tbt came from long ago, but it was so unforgettable that I don’t mind. I visited Eastern Europe in 2011, when I was 20 years old. At that time I have also been to Bratislava, in Slovakia.

So pictoresque and unique, Prague has a striking image specially for the orange coloring of its roofs and the Charles Bridge over the Moldava river. Its astronomic clock and the Old Town or, as they say, Staré Mesto, with its central tower are also very impressive views to be seen. Not only fit for contemplation, this city encourages strollings and pub crawls. Another detail, not to be ignored, the locals are very beautiful people.

In the aspect of costs, it is very accessible city due to the devaluation of the Czech Crown, in comparison to the Euro (about 25.3 to 1). Despite that fact, I stayed in Mosaic House, a very satisfying hostel – the best I’ve ever been, I’d say -.

Prague also has a jewish neighborhood and a new center. Its nightlife is full of fun options, and the capital offers cultural options such as Franz Kafka museum, in honor of the renowed Czech author and the Communism Museum dedicated to the regime which lasted from 1848 to 1989. But don’t presume that the city is a wasteland from the failed regime: it even has its own Champs-Élysées, the Pariszka Avenue, in which you can find thriving boutiques with the finest labels and brands.

In terms of popular cuisine, Prague offers a diverstity of coffeehouses, such as the Café Imperial, ranked as one of the ten most beautiful restaurants int the world, with its origins dating back to 1914, serving a wonderful onion soup and doughnuts. The city does not lack of good restaurants with more accessible prices should one stray away from the touristic centers. I will never forget the taste of trdelnik, similar but much superior to a pretzel, consisting of a sweet dough covered in almonds and baked in the form of a cone with diversified fillings, such as Nutella. Also, a taste of fine wheat beer in Prague will instantly remind you of the fact that the Czech Republic is a powerful exporter of hop.

Traditional Czech culinary is marked by meats and soups, usually sided with potatos or other starchy vegetables. A satisfying meal may cost around ten dollars, drinks included. During my stay I tried the Lokál, a brewery with modern ambience that also served national dishes.

The capital’s finest attraction is its castle, considered World Heritage by UNESCO. Not a simple palace, it is a full region of the city with museums, churches and a bit og history at every step. There are many options of tickets to enter, so the visitors should go well-understood of what exactly it is that they are interested in seeing. To cite a few examples, I remember the Saint Vitus Cathedral where lay resting the nation’s Crown Jewels, the gardens, and Saint George Basilica. A curious event is the changing of the Guard, visible to all at noon.

Other curiosities:

  • The city is only 334 kilometers from Vienna, with a population of 1.3 million;
  • Some of the streets are dimly illuminated, granting an air of mystery to the city;
  • At winter, night falls at around 16 PM, and the temperature drops wildly;
  • The citizens – especially the elderly – are discreetly mannered, and few are English speakers.

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s